Dia 19 de Maio- Dia de doação do leite humano

Olá!

O ato de doar e ajudar o próximo é o um dos mais belos que o ser humano pode realizar.

Estamos acostumados a ouvir sobre doação de sangue e de órgãos, mas muito pouco se sabe sobre doação de leite e agora, no dia 19 de Maio, comemoramos o “Dia de doação de leite humano”.

Não há data melhor para informar, conscientizar e orientar as mães sobre a doação de leite.

O leite materno contém vários macro e micronutrientes, elementos bioativos, anticorpos, células de defesa e bactérias necessárias para a formação e maturação do intestino do bebê (microbioma) e do seu sistema imune.

Indiscutivelmente, ele é a melhor opção para a nutrição da crianças, exclusivamente, até o sexto mês de vida e de forma complementar, ao menos até o segundo ano de vida.

No entanto, é notório o número crescente de mães que não podem amamentar ou que possuem baixa produção láctea, principalmente quando falamos de mães de prematuros que estão internados em uma Unidade de Terapia Intensiva Neonatal.

Apesar da possibilidade de complementação com fórmula adequada para a idade, nesses casos, o leite materno é a melhor opção para esses bebês que possuem uma enorme emergência nutricional e imune.

Quando falamos de doação de leite, é importante deixar claro que NÃO estamos falando ou incentivando a amamentação cruzada, ou seja, o ato de uma mãe que possui grande quantidade de leite passar a amamentar o filho de outra mãe com baixa ou nula produção. Isso é perigosíssimo e CONTRA-INDICADO, pelo risco de transmissão de doenças.

Estamos falando da doação a partir dos Bancos de Leite Humano.

Hoje o Brasil dispõe de 223 Bancos de Leite Humano e de 220 Postos de Coleta, que não representam apenas unidades de captação de leite. São locais que fornecem ajuda, esclarecimento e incentivo para as mães continuarem amamentando, sendo elas doadoras ou não.

O leite doado passa por um processo de pasteurização, impedindo a possibilidade de transmissão de doenças, a qual a amamentação cruzada poderia resultar.

Entretanto, nesse processo, algumas das propriedades do leite são perdidas, como fatores que estimulam a imunidade e que diminuem a atividade bacteriana.

O mesmo não se pode dizer dos fatores imunomoduladores, que ao contrário, são curiosamente aumentados e que protegem os prematuros de doenças como a displasia broncopulmonar, retinopatia, sepse e enterocolite. Bem como, os componentes nutricionais, que são mantidos como no leite cru.

Em 2020, apesar da pandemia e da redução do número de doações, foram realizados mais de UM MILHÃO de atendimentos nos Bancos de Leite e foram doados cerca de 200.000 litros de leite humano, o que beneficiou exatos 180.763 neonatos.

PARABÉNS A TODAS MAMÃES ENVOLVIDAS!!!

Você é lactante e quer ajudar?

Deixo abaixo os locais aqui na nossa região que aceitam a Doação do Leite Humano:

  1. Banco de Leite Humano do Conjunto Hospitalar de Sorocaba

Avenida Comendador Pereira Inácio, 564 Lageado18031-000 SOROCABA , SP

Telefone: 15-3332-9405

Horario Funcionamento: DOM – SEGUNDA – TERÇA – QUARTA – QUINTA – SEXTA – SÁB

Manhã: de 07:00:00 às 11:00:00

Tarde: de 12:00:00 às 19:00:00

Coleta Domiciliar: Sim

Hora Marcada: Não

2. Hospital Santa Lucinda


Rua Cláudio Manoel da Costa, 57 – Jd. Vergueiro
Sorocaba – SP

Telefone: (15) 3212.9900

Se você não for dessa região e quer saber qual o banco de leite mais próximo, ligue para o Disque-Saúde: 136.

Vamos fazer essa corrente de bem e amor!

Até a próxima.

Dr Vinícius F. Z. Gonçalves- Pediatra e Neonatologista

CLÍNICA GONÇALVES- Deixe a nossa família cuidar da sua.

Fontes:

Nota de Destaque: 19 de maio – Dia de doação de leite humano- “Aumentando a conscientização sobre a doação de leite humano”- Sociedade Brasileira de Pediatra- 14 de Maio de 2021

Coronavírus- Uma realidade em nosso Estado

Coronvírus

 

No estado de São Paulo a transmissão comunitária do Coronavírus já é uma realidade.

Citaremos aqui o que você deve saber para se proteger da contaminação e disseminação da pandemia vigente.

Como ocorre a disseminação do vírus:

  • Através da dispersão de gotículas expelidas pela tosse ou espirro
  • O vírus pode sobreviver até nove dias em meios que propiciem a sua sobrevivência
  • As mãos em contato com meios contaminados é a forma de contaminação
  • Lave as mãos com água e sabão para evitar a disseminação do vírus, ou na impossibilidade desinfecte as mãos com álcool gel
  • Aspersão do vírus de forma direta através das gotículas emanadas da tosse ou espirro, ou contaminação pelas mãos contaminadas em contato com mucosas (olho, boca) é a forma de contaminação. Lave as mãos ou use álcool gel
  • Evite aglomerações ou exposição em meios onde o vírus pode estar presente
  • Se estiver com quadro gripal (tosse, coriza, dores no corpo) não se preocupe se a febre não for persistente e inferior a 38C, use analgésico, antitérmicos, permaneça em repouso em casa, evite contaminar outras pessoas, use máscara para evitar a disseminação do vírus não importa se (influenza ou corona vírus)
  • Em caso de febre persistente acima de 38C, tosse produtiva com quadro de secreção muco purulenta, ou quadro de dificuldade respiratória é quando você deve procurar o serviço de emergência hospitalar
  • Ao tossir ou espirrar, evite levar as mãos à boca. Utilize o antebraço ou cotovelo para evitar a dispersão do vírus. A disseminação do vírus ocorre pelo toque de superfícies contaminadas e/ou pelas mãos após o toque em mucosas como olhas, boca e nariz, sem desinfecção adequada após com água e sabão ou álcool em gel

Imagem3

 

  • Não procure os serviços de emergências do Hospital com quadro gripal banal. Cerca de 80% dos casos de infecção por Corona vírus evolui com um quadro de gripe simples, não sendo necessária a identificação do agente etiológico. Evite disseminação da infecção, PERMANEÇA EM CASA!

 

covid clinica

Dr. José Francisco Gonçalves Filho– Ginecologista e Obstetra. Fundador da Clínica Gonçalves.

 

Congresso Brasileiro de Ginecologia e Obstetrícia 2019

2af69c72-ac0d-46a3-8cc2-a90a460f2549

Entre os dias 13 e 19 de Novembro de 2019, o Doutor José Francisco e a Doutora Francine estiveram presentes no 58º Congresso Brasileiro de Ginecologia realizado em Porto Alegre-RS. Neste, o tema central foi a saúde da mulher, da prevenção primária até o avanço das terapias.

É sempre importante que seu médico esteja atualizado e alinhado às novidades médicas em sua área.

Parabéns aos nossos médicos pela sua dedicação!

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

12 de Abril- Dia do Obstetra

12 de abril Dia do Obstetra (3)

 

12 de abril: Dia Do Obstetra

Obstetra é uma palavra que vem do latim obstetrix, do verbo obstare, que significa “ficar ao lado de”. Por isso, o obstetra é o médico que fica do lado para acompanhar e ajudar.

O médico obstetra é um profissional que aconselha e acompanha a mulher antes da gravidez, durante a gestação, durante o parto e também no pós-parto. Assim, o obstetra acompanha a saúde da mãe e do bebê durante todo o processo, ajudando a prevenir e tratar eventuais problemas de saúde para qualquer um dos dois, intervindo quando necessário para preservar a integridade de ambos.

A atuação do obstetra começa bem antes do parto, portanto, toda mulher que deseja engravidar deve procurá-lo o mais cedo possível para que se possa identificar e sanar prováveis riscos à gravidez e à gestante.

Assim que é descoberta a gravidez, iniciam-se as consultas de pré-natal que são, na grande maioria das vezes, consultas preventivas e educativas. Falar e ouvir são as mais importantes funções do obstetra. Durante toda a gravidez são realizados exames laboratoriais e ultrassonografias que visam identificar e tratar doenças que podem trazer prejuízos à saúde da mãe ou da criança. A assistência do pré-natal bem estruturada pode promover a redução dos partos prematuros, de crianças com baixo peso ao nascer, de complicações de hipertensão arterial na gestação, bem como da transmissão vertical de patologias como o HIV, sífilis e as hepatites.

Além disso, é importante perguntar sobre os incômodos comuns da gravidez, como azia, queimação, excesso de saliva, fraqueza, dor abdominal, cólica, corrimento vaginal, hemorroidas, dificuldade para respirar, sangramento das gengivas, dor nas costas, varizes, cãimbras e trabalho durante a gravidez, esclarecendo todas as dúvidas da gestante e oferecendo as soluções necessárias.

A gravidez representa um dos momentos de maior ansiedade e de grandes mudanças na vida da mulher e, um diálogo claro, procurando eliminar suas dúvidas e seus anseios partoé muito importante para o acompanhamento de pré-natal. Procure sempre que possível indicações, principalmente entre os familiares e considere a empatia como um fator importante. Seu obstetra vai ser seu cúmplice, seu amigo, participando de um grande momento da sua vida e da formação da sua família.

Dra. Francine Zacarias Gonçalves- Ginecologista e Obstetra

Sou a pior mãe do MUNDO?!?

Sou a pior mãe do mundo!

Olá!

Me desculpem os pais, mas hoje a mensagem é para as mamães!

Por acaso, você já ouviu de algum amigo, amiga, tio, tia, irmão, irmã, mãe ou sogra algo do tipo: “Nossa, mas você não consegue amamentar?!?”; ou “Na minha época, eu tinha leite para dar e vender. Amamentava e dava até para a vizinha dar para o filho dela!”; ou “Parece que seu leite é fraco, não sustenta…”; ou “Nossa, como seu bebê chora.Você não sabe o que ele tem????”; ou “Dá ele aqui!”- e tomam seu bebê do colo e vão inventar mil e uma artimanhas, de chá à benzedeira, pra fazer ele parar de chorar…

Pois bem, não se incomodem. Tudo isso é feito com a melhor das intenções.

E não!!! Você NÃO é a pior mãe do MUNDO!!!!

Como sempre costumo dizer na visita na Maternidade ou na primeira consulta, o governo dispõe de belos cartazes…

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

Que incentivam as mães a amamentarem seus filhos!

Mas, não, DEFINITIVAMENTE, não é e não será fácil…

E além de todas as dificuldades intrínsecas e naturais, vocês têm que ouvir TODOS os conselhos do mundo.

 

Mas CALMA!!!

 

Pensando nisso e nesse universo, a Netflix lançou uma série chamada “Turma do Peito” (The Let Down)- produzida pela ABC da Austrália, a qual mostra a protagonista Audrey, mãe de primeira viagem de uma menina de dois meses, passando por todas desventuras que a maternidade e o puerpério podem produzir e buscando apoio num grupo de suporte de pais.

 

 

Este slideshow necessita de JavaScript.

 

A primeira temporada possui sete episódios e trabalha diversos temas que são pouco abordados em relação à maternidade, principalmente os que abrangem o quanto a sociedade pode negligenciar um tratamento respeitoso com as mulheres.

Além disso, a série mostra como a vida da nova mãe se altera após o nascimento do filho, como é abandonar a antiga vida e lidar com os novos desafios e realidades, além dos julgamentos e conselhos dos outros.

Ela mescla bem, momentos de humor e drama, dando um clima leve e de curiosidade para quem assiste.

Ótimo não só para as mães, mas para os pais, filhos, avós, avôs, sogras…

Fica aqui a dica para o feriado.

Espero que curtam!

 

Dr. Vinícius F.Z. Gonçalves-  Pediatra e Neonatologista

*P.s.: A segunda temporada já está em produção!

Ultrassom para quê?

 

ultrassom

 

A ultrassonografia passou a ser parte integrante da propedêutica pré-natal, sendo um exame de extrema importância no arsenal propedêutico da gestação.

A ultrassonografia bidimensional é empregada na avaliação morfológica fetal, na datação da gestação, no seguimento para acompanhamento do desenvolvimento ponderal fetal, na avaliação da restrição de crescimento do fetal, na avaliação da vitalidade fetal com a utilização da Doppler velocimetria.

O exame deve ser realizado em datas específicas da gestação, para obtenção dos melhores parâmetros para avaliação da gestação; assim o morfológico de primeiro trimestre deve ser realizado entre 11 e 13 6/7 semanas, para avaliação da translucência nucal, ducto venoso, osso nasal,  para rastreamento das cromossomopatias e cardiopatias no primeiro trimestre, assim como malformações estruturais demonstráveis neste período da gestação.

12

O exame morfológico de segundo trimestre deve ser realizado entre 20 e 24 semanas, para avaliações de malformações estruturais que aparecem em idade mais avançada da gestação tais como malformações do sistema nervoso central, aparelho digestivo, urinário, cardiovascular, esquelético…

 

Já a Doppler velocimetria é empregada nas gestações com desvio de crescimento fetal, nas gestações com patologias materna que interferem no desenvolvimento fetal tais como diabetes, hipertensão, doenças reumáticas, infecciosas, etc. Avalia a circulação materna com a insonação das artérias uterinas e fetal com avaliação da artéria umbilical e cerebral média.

54

 

E o ultrassom 3D e 4D?

A ultrassonografia 3D e 4D observa  o bebê em imagens tridimensionais. A diferença é que na imagem 3D temos uma avaliação estática da imagem tridimensional e no exame 4D as imagens são dinâmicas em tempo real, podendo ser observado a movimentação fetal como a movimentação de membros, do abrir e fechar da boca, das caretas e mimicas realizadas pelo feto.

O exame tridimensional tem melhor resolução quando realizado entre 25 e 32 semanas de gestação, pois necessita de uma boa quantidade de líquido amniótico para que possamos obter melhores imagens, assim como da posição fetal, do panículo adiposo materno, da movimentação fetal.

Assim recomendamos que a mãe se alimente 30 minutos antes do exame para que o bebê se movimente, pois se o mesmo estiver em uma posição ruim pode-se obter uma imagem não satisfatória.

Importante!!! Os exames 3D e 4D não substituem os exames morfológicos, sendo estes os exames padrão ouro para avaliação da morfologia fetal.

 

Espero ter elucidado parte das dúvidas que nossos leitores possam ter.

Nos vemos em breve!

Dr. José Francisco Gonçalves Filho– Ginecologista e Obstetra. Fundador da Clínica Gonçalves.

 

PS.:  Na Clínica Gonçalves, os exames são documentados com imagens impressas em papel foto, e gravação em DVD para reprodução em aparelho convencional, podendo o mesmo ser agendado após as 12:00 horas no telefone: (11) 4712-5175. O exame demora cerca de trinta minutos e se o feto não se apresentar em posição satisfatória para obtenção das imagens um segundo exame é agendado. Quando não possível a obtenção de imagens satisfatórias, o relatório do exame bidimensional é emitido.    

Por que comigo?!?

thumbnail_Por que comigo

Vamos tecer alguns comentários sobre abortamentos, para tentar dirimir a ansiedade dos casais que passam por esta situação.

O aborto é uma situação muito mais frequente do que se pode imaginar e, na maioria das vezes, está associado à uma patologia fetal com chances mínimas de se repetir em uma gestação futura.

O aborto espontâneo acomete de 15 a 20 % das gestações e pode trazer transtornos de ordem física e psíquica para o casal. Pode ser primário quando acontece na primeira gestação ou secundário quando acontece após gestações anteriores bem sucedidas.

Ele pode ser precoce quando ocorre antes de 12 semanas de gestação ou tardio quando ocorre entre 12 e 22 semanas, com feto com peso inferior a 500 gramas. O aborto precoce habitualmente está associado à patologia fetal, muitas vezes associado a causas gênicas ou cromossômicas, endocrinopatias ou síndrome fosfolípide. Quando ocorre de modo isolado não necessita de investigação.

Já no abortamento tardio, as causas mais comuns são as malformações uterinas, a incompetência istmo cervical e as trombofilias.

O abortamento de repetição ou recorrente (dois ou mais abortos consecutivos) acomete de 0,5 a 2% das gestações. Na ocorrência de abortamentos consecutivos, o casal necessita de investigação para tentar elucidar a sua etiologia.

A investigação necessita de exames para afastar malformações uterinas; causas endócrinas; causas infecciosas como a sífilis, a toxoplasmose, o citomegalovírus, a vaginose bacteriana; trombofilias (doenças relacionadas com a coagulação do sangue) de causas adquiridas ou hereditárias e, mais raramente, a investigação do cariótipo do casal.

Nas mulheres acima de 35 anos, 40% dos óvulos apresentam alterações cromossômicas, sendo que as principais são: alteração nos cromossomos sexuais, cromossomos 13, 18, 21, o que pode acarretar em síndromes tais como Síndrome de Turner, Síndrome de Patau, Síndrome de Edwards e Síndrome de Down, sendo que tais doenças cromossômicas estão associadas à maior incidência de abortamentos e óbitos intrauterino e neonatal.

Portanto, as mulheres com idade acima de 35 anos habitualmente apresentam uma incidência um pouco maior de abortamento, assim como risco maior de complicação durante a gestação com o aumento da incidência de malformações fetais.

A perda de um bebê é uma situação bastante delicada e, quando recorrente, traz mais aflição para o casal.

Porém, mesmo quando a investigação não consegue demonstrar a causa do aborto; o prognóstico é bom, sendo que a chance de se obter uma gestação de termo e viável encontra-se na faixa de 65 a 70%, mesmo após três perdas consecutivas sem causa evidente.

Portanto, tenha em mente que o aborto é geralmente uma ocorrência única. A maioria das mulheres que abortam podem ter uma gravidez saudável posteriormente.

Dúvidas ou sugestões? É só deixá-las abaixo ou pelo Facebook da Clínica http://www.facebook.com/clinicagoncalvessr.

Até Breve!

Dr. José Francisco Gonçalves Filho– Ginecologista e Obstetra. Fundador da Clínica Gonçalves.

 

Será que meu bebê está bem?!?

Devo monitorizar.png

Uma das maiores dúvidas das mães, nas consultas de pré-natal, é: “Será que meu filho está bem?!?”.

Hoje falarei um pouco sobre o assunto, abordando quando e por que devemos realizar esta investigação.

A avaliação da Vitalidade Fetal é essencial para proporcionar melhores condições de saúde ao bebê, ainda na barriga da mãe.

As provas são indicadas em diversas situações nas quais há risco de deterioração da oxigenação do feto.

Didaticamente essas situações são divididas em três grupos: doenças maternas, anomalias fetais e intercorrências da gestação.

Diante destes casos podemos ter hipóxia intrauterina (falta de oxigênio) causando sofrimento fetal e em alguns casos sequelas neurológicas irreversíveis.

Já o quadro de sofrimento fetal pode ser dividido em agudo e crônico.

O sofrimento fetal agudo é um distúrbio de oxigenação que ocorre durante o trabalho de parto, no qual outros fatores etiológicos determinam rápida queda da oxigenação fetal, com aparecimento de mecônio que aumenta progressivamente de espessura a medida que a anóxia se acentua, desencadeando alterações na frequência dos batimentos do coração do bebê.

Na fase inicial – compensada- o feto responde com a aceleração dos batimentos do coração já, numa fase mais adiantada onde a anóxia é mais intensa; aparece a redução dos batimentos cardíacos, a chamada bradicardia fetal.

Essas alterações podem ser detectadas pela Cardiotocografia, pela Ultrassonografia com o Perfil Biofísico Fetal e com a Dopplervelocimetria*.

cardio

Fig.1: Imagem demonstrando a Cardiotocografia- exame rápido, não invasivo e indolor que mede a frequência do coração do bebê e pode avaliar se está o ocorrendo Sofrimento Fetal.

 

Por outro lado, o sofrimento fetal crônico é definido como o distúrbio de oxigenação que ocorre durante uma gestação de alto risco, em que fatores etiológicos promovem alterações que culminam com déficit da oferta de oxigênio aos tecidos fetais.

A principal causa de sofrimento fetal crônico é a insuficiência placentária crônica, que ocorre, por exemplo, em gestantes com hipertensão e retardo idiopático do crescimento intra-uterino (CIUR).

Nesses casos, há diminuição da nutrição, que leva a CIUR, com diminuição da oferta de oxigênio para o feto e consequente hipóxia.

A Vitalidade Fetal pode ser analisada sob diversos parâmetros entre as quais estão: registro diário da movimentação fetal registrado pela gestante- uma hora após as refeições -Cardiotocografia, Ultrassonografia com o Perfil Biofísico Fetal e com a Dopplervelocimetria*.

Na suspeita de que algo de errado ou de diferente esteja ocorrendo com o seu bebê procure o seu Obstetra. Ele poderá avaliar o seu caso e assim, indicar qual o melhor exame para avaliação da Vitalidade Fetal.

Dúvidas ou sugestões? É só deixá-las abaixo ou pelo Facebook da Clínica http://www.facebook.com/clinicagoncalvessr.

Até Breve!

Dr. José Francisco Gonçalves Filho– Ginecologista e Obstetra. Fundador da Clínica Gonçalves.

 

*A Clínica Gonçalves dispõe de todos os exames citados acima.