O Outono está chegando!

Outono

O Outono está chegando!!! Março está chegando!!! Muito cuidado porque a Bronquiolite também está chegando!

Mas afinal, o que é Bronquiolite?

Bem, o que eu gosto de destacar sempre é que Bronquiolite não tem nada a ver com a Bronquite, além do nome parecido e o fato de poder provocar um quadro respiratório importante e grave com reação inflamatória dos pulmões e sibilos.

Enquanto a Bronquite ou a Asma é uma doença respiratória crônica, com um componente genético bem definido, a Bronquiolite é uma infecção respiratória aguda causada por vírus- também chamada de Bronquiolite Viral Aguda (BVA).

 

Então ela não deixa de ser uma “virose”?

De certa forma sim. A Bronquiolite é mais uma das doenças virais que acometem os pequenos.

O seu grande vilão é o VSR (Vírus Sincicial Respiratório), responsável por cerca de 90% dos casos de BVA. Mas, sabemos que muitos outros vírus também podem causá-la como o Influenza A e B, Parainfluenza 1 e 3, Rinovírus, Coronavírus, Adenovírus….

E porque devo temer tanto o início do Outono e a chegada do mês de Março?

O VSR possui uma característica sazonal, com picos de incidência nos meses de Fevereiro a Julho, nas regiões de clima subtropical como o Estado de São Paulo. Portanto, devemos redobrar os cuidados com os pequenos nesses meses- até o final de Agosto/Setembro.

Quem são as crianças mais acometidas?

A BVA costuma acometer as crianças menores de dois anos, principalmente os menores de 3 meses, prematuros, pacientes com doenças respiratórias crônicas e com cardiopatia congênita.

Os filhos de mães tabagistas, jovens, com baixo nível socioeconômico e aqueles com mais de 2 irmãos ou  que frequentam creche têm um risco maior para desenvolver a doença grave.

Como se dá a infecção e como posso tentar evitá-la então?

A infecção se dá pelo contato direto das secreções respiratórias contaminadas. As mãos e objetos contaminados, como brinquedos, podem funcionar como meio de disseminação importantes.

Geralmente, a transmissão se dá por um parente próximo- pais, avós ou irmãozinho- que esteja apresentando um quadro de resfriado atual ou não, mas que esteja incubando o vírus no momento.

Sendo assim, devemos sempre lembrar de lavar as mãos ou utilizar o álcool em gel, antes de manipular um recém-nascido, por qualquer motivo.

Como posso desconfiar que o meu bebê está com Bronquiolite?

O quadro começa como um quadro de resfriado comum, com sintomas inespecíficos como coriza clara, congestão nasal, espirros e febre baixa; os quais costumam durar cerca de 3 dias.

Após as crianças podem apresentar uma piora progressiva com sintomas que incluem a tosse, sibilos e cansaço importante.

desc

Caso apresente algum destes sinais, a criança deve ser avaliada por um médico prontamente.

Qual o tempo de evolução da doença?

Cerca de 7 a 10 dias. Sendo que apenas 2-3% das crianças necessitam de Hospitalização.

Qual o tratamento?

Por se tratar de uma doença viral, o tratamento é de suporte com anti-térmicos, lavagem nasal e inalação com soro fisiológico. Não existe um tratamento específico aprovado ou antibiótico, exceto se houver doença bacteriana associada.

Dependendo da gravidade, é possível tratar a BVA em casa; no entanto, em alguns casos, a criança necessita de internação Hospitalar e até mesmo suporte de UTI, devido ao intenso grau de desconforto respiratório.

E a vacina? Ela existe e funciona?

Até existiu uma vacina de verdade contra o VSR, mas por várias desvantagens ela não tem sido utilizada.

O que temos disponível e em uso é a Pavilizumabe.

Um anticorpo pronto contra o VSR que é dado para crianças, como as prematuras, broncodisplásicas e portadoras de cardiopatia congênita, nos meses de risco aumentado para a infecção.

Ela não confere imunidade permanente, mas reduz em 50% as hospitalizações, o tempo de internação e a necessidade de admissão em UTI.

MEU DEUS!!! Já que não existe um tratamento específico, o que eu posso fazer então para preveni-la?

Como já falado, o básico:

  1. HIGIENE nas mãos antes de manipular os recém-nascidos.
  2. EVITAR o contato do bebê com pessoas com resfriado.
  3. EVITAR o início da creche ou escolinha nessa época e com as crianças mais susceptíveis.
  4. EVITAR levar o bebê a lugares fechados e com muitas pessoas -NÃO SÓ NESSA ÉPOCA DO ANO- como cultos religiosos, supermercados, cinemas, shows e HOSPITAIS!!!

**** NOTA EXTREMAMENTE IMPORTANTE: o pior lugar para se levar um recém-nascido (VEJA, A NÃO SER QUE NÃO HAJA OUTRA ALTERNATIVA E REALMENTE HAJA A NECESSIDADE DE AVALIAÇÃO MÉDICA) é o pronto-socorro, ainda mais neste período citado. O ideal é que a criança seja avaliada por seu Pediatra e caso ele julgue necessário, ela seja atendida em um Pronto-Socorro.

Dr. Vinícius F. Z. Gonçalves- Pediatra e Neonatologista

Créditos da imagem: @fisioterapiadacrianca (Link: http://www.pictame.com/user/fisioterapiadacrianca/3935307476)

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s