Dicas de Sono

bicho-papÃo (1)

Olá!

Hoje falarei sobre o Sono das crianças. Abordarei as possíveis causas de anormalidades e darei dicas sobre a Higiene do Sono. Vamos lá?

Mas o que viria ser a Higiene do Sono? Ela nada mais é do que uma associação de fatores comportamentais, ambientais, sociais, culturais, dentre outros que podem afetar o início ou a duração do sono.

Mas como posso realizar uma boa Higiene do Sono para meu filho? Veja algumas dicas na tabela abaixo:

higiene

No entanto, a Higiene de Sono não é fixa e igual a todas crianças, visto que possuímos hábitos e padrões diferentes em cada família/cultura.

O importante é tentar criar uma rotina de sono desde pequeno. O bebê, devido a sua imaturidade neurológica e social, necessita da segurança e da ajuda dos pais para conseguir, desde os primeiros dias de vida, dormir sozinho.

Somente após os dois meses de idade é que o bebê passa a criar uma rotina de sono, apresentando um ciclo de sono/vigília mais ordenado, necessitando cada vez menos dos cochilos durante o período diurno- característica esta que se estende até os cinco anos de idade, em média.

1.Ritual do Sono

Desde pequenas, as crianças devem ser estimuladas a perceber que está chegando o momento de dormir- o chamado ritual do sono.

Próximo ao momento de dormir, evite sons altos, ruídos bruscos, abaixe a intensidade da luz e evite alimentos ou medicações estimulantes. Quando a criança já for maior, peça a ela que guarde os seus brinquedos, coloque os pijamas, escove os dentes e que vá para a cama- uma música calma ou historinha antes de dormir, com a criança já na cama, também ajuda bastante.

A hora de dormir pode significar o momento de separação dos pais, o que pode causar angústia e medo. Mas devemos encorajar as crianças a ficarem sozinhas e que caso aconteça qualquer coisa durante o sono, digam a elas que estarão próximos para ajudá-las.

Este ritual do sono não deve se estender mais do que 30 minutos. As crianças gostam de barganhar bastante, portanto, sejam firmes e imponham limites para uma nova historinha antes de dormir, por exemplo.

Outra coisa muito comum são os despertares noturnos. Caso a criança acorde, ela deve estar apta a voltar a dormir sozinha. Caso necessite da ajuda dos pais, evite acender a luz, fale baixo e , se possível, não retire a criança do berço ou da cama.

O hábito de dormir com a criança no colo, embalando, na cama dos pais ou na frente da televisão ou tablet/celular cria uma dependência na criança e deve ser desencorajado.

Quando ocorre um despertar noturno e a criança se vê em outro lugar que não aquele o qual ela adormeceu cria-se o medo e a apreensão, além do fato dela estar sozinha. Por este motivo, ao perceber sinais de sono, como o bocejar ou coçar os olhos, a criança deve ser levada ao berço ou à cama e assim, dormir em seu próprio ambiente.

Os pais podem e devem ficar próximos até o adormecer, mas devem deixar claro que não dormirão próximos da criança- isto vale a partir dos 4 meses de idade, antes disso, a criança deve dormir no quarto dos pais.

Mesmo que seja difícil, inclusive para os pais, é de extrema importância a existência destes limites. O fato de ceder, que seja por uma única vez, mesmo que por manha pode reforçar o comportamento na criança.

Caso a criança crie o hábito de dormir no colo ou cama dos pais, diante de televisão, tablet/celular, ao ocorrer um despertar noturno, ela necessitará dos mesmos artifícios para voltar a dormir e isto prejudicará a rotina da casa e a própria rotina do sono.

Evite filmes de terror ou histórias assustadoras antes de dormir. Caso a criança acorde e não consiga voltar a dormir, vá até o quarto e tente acalmá-la sem tirá-la da cama ou berço, mostrando-se sempre de forma acolhedora. Viagens, doenças, preocupações- como o nascimento de um irmãozinho, medo do escuro ou do “bicho-papão” podem fazer com que a criança acorde e não consiga voltar a dormir. Tente conversar com ela sobre assuntos agradáveis, como o que ela fez no dia ou sobre alguma atividade futura que ela irá fazer, retirando assim os pensamentos ruins da cabeça.

Em casos mais graves, como separação dos pais, óbitos de familiares ou conhecidos, ou em ambientes em que há muitas brigas e discussões (que não devem ocorrer na frente da criança) um profissional, como o psicólogo ou psiquiatra, pode ser de grande valia.

2. Rotina do Sono

É imprescindível que se crie uma rotina para o sono, incluindo os finais de semana e feriados.

Como dito acima, viagens ou doenças/internação hospitalar podem desestruturar uma rotina já criada e que, assim que possível, deve ser restaurada.

O sono regular libera melatonina, hormônio indispensável para o ciclo circadiano, ou seja, para o corpo entender que é dia e que precisará de mobilizar toda a sua energia naquele período até a noite. Crianças que não tem uma rotina de sono adequada apresentam sonolência durante o dia e baixo aproveitamento escolar, além de dificuldade de concentração e memória.

Além disso, é durante o sono que é liberado o hormônio de crescimento também.

Os bebês em especial, necessitam de vários cochilos diurnos e eles devem ser encorajados. Não devemos limitar esses períodos de descanso.  Já, crianças maiores e até mesmo adolescentes, podem realizar cochilos no período vespertino, no entanto, estes não devem ultrapassar mais do que 30 minutos.

3. Alimentação

A criança deve estar bem alimentada e também ter uma rotina de alimentação. Não deve ter fome e nem estar superalimentada.

O jantar deve ser mais cedo, podendo haver uma ceia próxima do horário de dormir, evitando assim uma alimentação copiosa próximo dele.

Evite também o café, chá preto ou mate, chocolate, refrigerantes, pois estes alimentos contém cafeína.

Dê preferência a um lanche leve, acompanhado de leite, pão e queijo branco.

Os bebês podem dormir durante a amamentação ou acordar durante a noite para mamar. Este é um hábito comum nos primeiros meses de vida, mas que deve ser desencorajado conforme a criança cresce.

Não é incomum escutarmos que o bebê acorda durante a noite e os pais, ao ofertar a mamadeira ou o seio materno, percebem que ele adormece em poucos minutos… Será que o motivo que fez o bebê acordar foi realmente fome ou será que criamos essa rotina de sono?

4. Hábitos

Dormir com uma pequena luz acesa ou com um objeto transicional como um ursinho, “naninha” ou paninho não configura um problema.

Este tipo de objeto ajuda na separação dos pais no horário de dormir, mas não deve se  tornar indispensável ao sono com o tempo.

Dormir com os pais na cama, ocasionalmente, pode ser prazeroso, mas não deve se tornar um hábito. O bebê , como dito, deve dormir em berço próprio e de barriga para cima, pois esta posição evita a morte súbita do lactente:

col24dormir-de-barriga-para-cima-e-mais-seguro

5. Atividade Física

Evite realizar atividade física até três horas antes do horário de dormir, pois isto pode prejudicar o sono.

Evite que a criança brinque de correr ou pular antes do sono. Como já citado, prepare o ambiente de dormir, reduzindo a atividade física, os ruídos e a luz.

Espero que com essas dicas a hora do sono se torne mais prazerosa aos pequenos e a vocês!

Por hoje é só.

Dúvidas ou sugestões? É só deixá-las abaixo ou na página de Facebook da Clínica Gonçalves.

Até a próxima.

Dr. Vinícius F.Z. Gonçalves-  Pediatra e Neonatologista

Baseado em: Higiene do Sono- Sociedade Brasileira de Pediatria- Setembro de 2017.

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s